quarta-feira, 1 de julho de 2015

Os Açores

A minha primeira viagem dos Açores foi a primeira de muitas, certamente...

Durante 10 dias saltamos de Ilha em ilha, de barco e de avião.

Aterrámos na Terceira e por lá ficámos 4 dias mais do que inicialmente planeado. Parece que barco que faz a travessia chocou com uma baleia...

O avião levou-nos até ao Faial onde ficámos hospedados numa pensão perto da doca e do famoso bar do Peter's. 
Daí, apanhámos um barco até ao Pico. Ah...o Pico!!!. Haverá montanha mais mágica, impressionante, imponente que o Pico?

É realmente fascinante a até mesmo atordoante ver a montanha mais alta de Portugal, lição aprendida na escola há muitos e muitos anos e só agora comprovada com os meus próprios olhos... 

O avião levou-nos de regresso à bonita Ilha Terceira onde tínhamos o avião que nos levaria de regresso a nossa casa e à nossa realidade. 

A saber que qualquer viagem para os Açores é reencaminhada gratuitamente e a pedido prévio, para qualquer outra Ilha à nossa escolha, de avião.

 





Praia na Terceira
Na doca no Faial
O Pico...
Piscinas fabulosas de água do mar no Pico
As vacas um pouco por todo os Açores

Viagem de barco do Faial para a Ilha do Pico :)



 

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Pins # Férias

Hoje os meus filhos estiveram a organizar os pins do frigorífico. Temos mais 2 a acrescentar. Regressámos à pouco dos Açores. Fiquei fã. Adorei os Açores. Mais adiante falarei destas Ilhas maravilhosas e do Pico...o Pico...
Para o lixo foram os horários da escola dos garotos e, uns quantos avisos já fora de todos os prazos. Dei-me conta que passou mais um ano escolar...fechou-se mais um ciclo, as manhãs a correr para não zangar a Professora, os lanches que não podiam faltar nas mochilas. Em Setembro serão outros desafios...mas ainda falta muiiiiiito e ainda bem...  

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Cesariana # Parto normal

A propósito da reportagem da SIC de ontem...
Eu sei que casos são casos e cada uma de nós tem a sua história para contar. Os meus dois partos tiverem sempre finais felizes. Não fossem as dores que fazem parte desta aventura de dar à luz e que já é assim desde o inicio dos tempos, eu diria que o parto normal faz-se com uma perna às costas :)
Ainda assim, obrigada à alminha caridosa e que merece o sol para todo o sempre que inventou a santa epidural.
Ambas as minhas gravidezes foram acompanhadas nessa grande instituição que é o Hospital Garcia da Orta. O motivo? Gravidez gestacional....fui recambiada do centro de saúde pelo meu médico de família para o HGO....
Quando era dia de consultas no Hospital, lá ia eu com um livro e um pequeno lanche para me ir entretendo durante aquelas quase 4/5 horas de consultas, sentada numa cadeira de sala de espera, nada confortável. Mas, naquela manhã era vista pela enfermeira, pela dietista e /ou endocronologista e no final pelo obstetra. Por vezes esta última consulta tardava porque eu tinha que partilhar estes preciosos e tão atarefados médicos com as senhoras que estavam no piso de acima a dar à luz, naquele preciso momento!!! E lá iam os médicos a correr ajudar as parturientes provenientes de todo um concelho que não pára de crescer...

No final da minha segunda gravidez comecei a ficar com aquele medo porque me ia lembrando como custa fazer nascer os nossos filhos e ainda tentei junto do médico pedir uma cesariana...porque não? O médico passou-me não uma justificação para cesariana mas um valente raspanete e explicou-me os riscos desta opção. Confesso que fiquei envergonhada e não voltei a falar do assunto...

No dia que o meu Eduardo pediu para nascer, lá fui eu para o HGO com o meu marido, calma, serena...já sabia para o que ia, sem cunhas, sem médico conhecido, sem saber quem me iria ajudar no momento da verdade.
E chegando, lá estava uma qualquer equipa de profissionais a fazerem o que fazem bem. Sempre ao meu lado esteve um enfermeiro parteiro e o marido, claro! E deixem que lhes diga que a maior concentração de obstetras e enfermeiros parteiros giraços estão no HGO :)

Para mim é sem dúvida um Hospital TOP, de referência. Incentivam as Mães à amamentação até mais não, ensinam a dar banho e lembro-me de já em casa ter ligado a pedir conselhos para os meus bebés...
Tive lá os meus dois filhos, foi aqui que recorri nas bronquiolites e outras aventuras e sustos próprias das crianças.

Cesariana nunca fiz ou nunca precisei....parto normal, claro que sim, que não hajam dúvidas das imensas vantagens.