Translate

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

A Viagem

Já vai fazer um ano e de quando em quando bate aquela saudade...

São Tomé é aquela viagem, aquela que não se esquece e que sabemos que vamos ter de repetir.

É um paraíso e fala português!!! E percebe-se porque tantos Portugueses fizeram e fazem novamente vida em África.

As fotos são da Ilha das Rolas, onde cheguei depois de uma viagem de barco de 20 minutos a levar "pancada" do mar, precedida da viagem de camioneta que eu não consigo descrever e uma viagem de avião de muitas horas.

Adivinhando o estado que chegamos à Ilha, espera-nos no Caís um fresquíssimo sumo de coco que nos dá toda a energia e que nos leva a pensar: valeu a pena, isto promete!!!

São Tomé (não tive oportunidade €€€ de visitar o Príncipe) tem muito para ver. Para além das Praias que eu sei que não há melhores, mais bonitas, mais selvagens, mais, mais, mais..... tem todas as roças para visitar e adorar.  São Roças, a maior parte delas abandonadas, outras que estão lentamente a ganhar vida e poucas que se mantém em produção, como a Roça de S.João dos Angolares.
Aqui pode-se dormir ou viajar numa degustação fantástica que é servida em almoços ou jantares a marcar.

Haveria tanto, tanto para dizer...

Já vai fazer 1 ano.... SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE



sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

Praia no Rogil

Da mesma forma que existem pessoas que nos marcam, livros que não esquecemos, há praias que ficam para sempre na nossa memória. Esta linda praia, selvagem, fica no Rogil, entre Maria Vinagre e Alzejur. É assim, como mostra esta foto: grande, pouco frequentada, para os amantes da Natureza no seu estado mais virgem.

E o intenso cheiro a mar....Rogil. Poucos a conhecem e ainda bem.

Saudades. 


segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Praias fluviais de Castelo Branco

Este fim de semana que foi mais comprido, fui para casa de uma amiga para os lados de Castelo Branco. Já conheço muitas praias fluviais naquela zona mas há sempre mais uma e mais uma e mais uma. E todas muitos especiais. Esta é a do Malhadal. Tem um cafézinho que serve cachorros e hamburguers e uns petiscos. 
A água abunda para dar umas braçadas e conta ainda com uma piscina artificial para os mais pequenos. Passa-se lá uma tarde muito agradável e tem mesas para o piquenique para quem vem com farnel. 


sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Rumo a Oleiros


Hoje, o prato do dia é rumar até Castelo Branco, concelho de Oleiros. Vamos de fim de semana, respirar um pouco do ar que o grande pulmão verde de Portugal, tem para nos oferecer. Na aldeia apenas vivem duas pessoas e para beber café, são 10 minutos de serra...
Da casa de Xisto onde vou ficar, ouve-se o rio que corre lá em baixo. À noite joga-se às cartas, só temos os 4 canais e põe-se a leitura em dia. Os meus putos vão dar cabo da roupa, vão andar molhados de brincarem no tanque, entrar em casa com os pés cheios de terra. Haverá melhor que isto???
Depois tomar uma dura decisão, que praia fluvial escolher entre a grande oferta que existe nesta zona. A da foto, chama-se Praia Fluvial de Fróia, a água é fria mas límpida, num cantinho do paraíso.
Para quem não tiver casa, aqui vai esta excelente opção:  http://www.vilardoscondes.com. Por aqui tudo é bom, até o preço....a comida, os pequenos almoços, as casas lindíssimas e super confortáveis, a proprietária simpatiquíssima. Recomendo.





Nova Praia Fluvial da Fróia - http://praiaportugal.com/nova-praia-fluvial-da-froia/

quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Arte ataque

Pois, ando numa de pinturas. Sabem como é, isto de vez em quando aparece...esta vontade de pintar móveis velhos. Já perdi a conta às vezes que olhava para uns móveis cá de casa e pensava sempre para comigo: tenho que pôr mãos à obra!!!!
Pronto, lá fui ao Leroy Merlin, comprei uma tinta primária branca, escolho outra tinta verde para dar no móvel, lixas e algumas pincéis de vários tamanhos. Lixei, dei primário, tornei a dar a lixa e dei a tinta verde. Mais lixa, mais pingos que apareceram e não era suposto, mas o resultado final agradou-me. Ganhei um móvel para guardar as roupinhas do meu filho mais pequeno e fiquei muito orgulhosa do meu feito.

E gostei tanto que pintei com o mesmo verde um móvel da casa-de-banho, fui à loja Casa, comprei uns puxadores laranjas giríssimos e apliquei, moí même. 

Este arte ataque tem algum perigo, na medida em que, dou por mim a olhar para todos os móveis com ganas de lhes dar outra cor.